Saara

Nosso deserto está dentro e é lá que lutamos pra sobreviver. Aqui fora a arte nos lembra que o mais importante é viver. Fazer o caminho é um dos mistérios da travessia. Esquecer a distância. Lembrar do tempo. Cada grão de areia tem na memória o vento que lhe deu origem. Hoje fomos saudar o Sol de Zé Peri. O piloto, escritor e ilustrador francês que viajou o mundo, e um dia pousou no Brasil. De nome: Antoine-Jean-Baptiste-Marie-Roger Foscolombe de Saint-Exupéry.

A fantasia brincou. Nosso amigo, autor de O Pequeno Príncipe, fez das dunas gaúchas da Praia de São Simão o seu Saara. Somos eternamente responsáveis? Talvez…

Por isso, no segundo semestre teremos Criaturas da Literatura em um formato audiovisual. A foto da Fabiana Bigarella registra a miragem que é trabalhar com arte no Brasil. Ajoelhar, levantar e seguir. Estamos no deserto. É necessário voar para longe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.