Gravações – 3ª noite

Essa foi uma das cenas mais complexas, pois foi a única externa noturna mais demorada e com complicações técnicas. A locação foi no gramado, abaixo de um plátano sem folhas. O chão foi varrido para criar um tapete de folhas secas onde Alice encontra como o Gato de Cheshire ou o Gato Que Ri. Na história é um gato fictício que se caracteriza por seu sorriso pronunciado e sua capacidade de aparecer e desaparecer. Na cena teatral esse efeito se realiza com uma projeção sobre o figurino da sombrista, em contraluz. Nessa adaptação para o vídeo foi utilizado um retroprojetor montado sobre a caçamba de uma caminhonete para que o ângulo da retroprojeção incidisse  sobre as folhas, que serviram como a superfície de uma tela. A sombrista Têmis usou esse espaço para jogar cenicamente com as aparições do Gato sobre o figurino e o ambiente natural. A cena precisou ser realizada no menor tempo possível, em virtude do frio e de uma garoa que começou a cair durante as gravações das sequências finais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.